top of page

Raiza Goulão e José Gabriel Marques são os campeões da CIMTB Michelin 2022


Raiza comemora título e vitória na etapa (Crédito: Ultrafotos)



Ambos ciclistas, que chegaram à prova decisiva da temporada como líderes, confirmaram o favoritismo ao vencer a disputa final - Cross Country Olímpico - na tarde deste domingo (25) em Congonhas (MG)


A edição de 2022 da Copa Internacional Michelin de Mountain Bike chegou ao fim na tarde deste domingo (25) no Parque Ecológico da Cachoeira, em Congonhas (MG). Os campeões do XCO (Cross Country Olímpico) foram conhecidos pelo público, que lotou o parque, em quatro baterias realizadas durante o dia. Nas duas principais disputas, as da Super Elites Feminina e Masculina, Raiza Goulão e José Gabriel Marques garantiram, não só a vitória da prova final, como também confirmaram o título de campeões de 2022, levando para casa o troféu em homenagem aos Doze Profetas de Aleijadinho e a camiseta azul clara de vencedores da temporada.


Na primeira decisão da Super Elite do dia, Raiza Goulão foi a campeã, após estar figurando sempre na ponta do pelotão, alternando posições com a ciclista Karen Olimpio. Na volta final, Raiza fez um ataque a poucos quilômetros da linha de chegada, superando Karen e levando a vitória para casa. Além de Karen, o top 5 teve ainda Hercília Najara, Isabella Larceda e Aline Simões. Completaram o pódio da etapa as ciclistas Gloria Melo, da Colômbia, Letícia Cândido, Giuliana Morgen, Maria Jose Salamanca, também da Colômbia, e Sabrina Oliveira.


"Vencer pela primeira vez a CIMTB Michelin é muito importante para minha história e mostra que eu estou no caminho certo neste momento da minha carreira", contou Raiza. "Quanto mais vitórias você conquista e sobe no primeiro lugar, mais confiança você ganha. A pressão aumenta, mas estou feliz. Está sendo um ano brilhante. Agora, quero iniciar 2023 indo em busca do top 20 do mundo", complementou.


Embora tivesse boa vantagem na liderança, a ciclista goiana não poupou energia em busca da primeira colocação. "Essa pista não tinha locais de ultrapassagem, então tinha que fazer a estratégia certa. Durante alguns momentos fiz alguns estímulos para ver como as adversárias estavam, vendo como estava a reação delas. Fato foi que ataquei no local certo, no momento certo para conquistar a vitória desse título tão importante, dessa que é pra mim a principal competição do Brasil", completou a campeã.


Queda no início atrapalha os planos de Isabella

Principal concorrente de Raiza na busca pelo título da temporada, a ciclista Isabella Lacerda, que havia sido a campeã de 2022 no XCC no dia anterior, teve que superar um imprevisto logo na primeira curva da prova. Isabella foi fechada por uma das adversárias da frente do pelotão, o que a fez parar e apoiar o pé esquerdo no chão, torcendo o seu tornozelo. Assim, foi para o último lugar da classificação da prova e teve que ir buscando posições volta a volta, para terminar em quarto lugar.


"Com cinco segundos fui fechada e me desequilibrei da bike. Ao por o pé no chão, torci e parecia que tinha quebrado o tornozelo. Doía muito. Demorei pra me situar e entender o que estava acontecendo. Consegui clipar o pé e fui com muita dor, me concentrando demais. Fui a última colocada em uma pista difícil de ultrapassar. Quando tive a oportunidade na subida de estrada, busquei as adversárias. Frustrada, mas era o que tinha que ser. Uma lição para mim, de não desistir. Cheguei a ficar na última colocação e terminei em quarto, próxima da Karen e da Hercília. O dia mostrou que temos que acreditar. Fiz uma grande prova, mas não do jeito que eu gostaria", contou a campeã do XCC e vice-campeã geral de 2022.



Pódio ta etapa do XCO (Crédito: Ultrafotos)


Além de Raiza Goulão e Isabella Lacerda nas duas primeiras colocações da temporada, com 269 e 239 pontos, respectivamente, o pódio (com as cinco melhores atletas) teve ainda Hercília Najara (212), Karen Olimpio (166) e Letícia Cândido (146).


Super Elite Masculina

Já na Super Elite Masculina, José Gabriel Marques dominou a corrida de ponta a ponta. Após uma primeira volta analisando os concorrentes, o ciclista atacou na segunda volta e abriu vantagem suficiente para administrar a vantagem a cada quilômetro. Assim, cruzou a linha de chegada sem ser ameaçado pelos concorrentes diretos pelo título. Guilherme Muller ficou em segundo lugar, confirmando o vice-campeonato da temporada. O terceiro foi Luiz Cocuzzi, que subiu também para terceiro lugar geral. O pódio da etapa teve ainda Nicolas Machado e Sherman Trezza, no Top 5, seguidos de Edson Rezende, Fabio Castañeda, da Colômbia, Rubens Valeriano, Kennedi Lago e Mario Santos. Ulan e Nicolas completaram o Top 5 geral da temporada.


"Muito feliz por conquistar o título da CIMTB Michelin. É uma prova que eu faço sempre questão de correr, independente de ser difícil ou não se adaptar ao meu calendário. Responsabilidade grande ter agora o bicampeonato geral do evento, sendo provavelmente o primeiro ciclista a conquistar o XCC e o geral (soma de XCC e XCO) no mesmo ano. Esse é meu quinto título geral da competição. Fui vencedor por todas as categorias que passei, Júnior, Sub-23 e Elite", vibrou José Gabriel.


"Na primeira volta eu quis dar uma testada no corpo, pois no aquecimento não estava encaixando. Neste teste, já selecionei bastante o grupo, passei a correr com o Cocuzzi. Então, ele pediu pra puxar, eu deixei ele fazer um pouco a prova até mesmo para analisar como ele estava e ver como os atletas iam vir. O pelotão então encostou, o Guilherme Muller e o Nicolas Machado. Na segunda volta eu quis dar uma testada no pelotão em si. Logo abri um pequeno gap e quis investir para aumentar a diferença. Já à frente dos adversários, consegui administrar a prova e pude dosar bem o corpo até porque a gente tem mais provas importantes pela frente. Consegui achar o ponto perfeito para levar a vitória para casa", avaliou José Gabriel.



José Gabriel comemora título e vitória na prova (Crédito: Ultrafotos)


Ciente de que conseguir a primeira colocação geral não era uma tarefa fácil, Guilherme fez os cálculos necessários para garantir o vice-campeonato, fato que o deixou muito satisfeito. "Muito feliz com o vice-campeonato e a segunda colocação na corrida de hoje. Foi um ano de desafios pessoais e, conseguir finalizar o maior evento do nosso país no calendário na segunda posição, é realmente gratificante. O início da corrida foi muito feroz, porque este é um circuito em que um bom posicionamento é fundamental para garantir um bom resultado. Na segunda volta o Zé Gabriel apertou o ritmo e manteve a alta intensidade, o que selecionou o grupo. É um circuito plano, ou seja, é difícil manter o equilíbrio entre fazer a bike desenvolver, manter velocidade e estar consciente sem ultrapassar a dose", finalizou.


Terceiro colocado após um bom início, Luiz Cocuzzi comentou sua participação na corrida final da CIMTB Michelin. "A prova estava rápida, tensa. Os atletas da ponta estavam muito fortes. Na segunda volta eu senti bastante o corpo, dei uma assustada, perdi a liderança, mas eu coloquei a cabeça no lugar após cair para sexto lugar. Logo encaixei meu ritmo e vim volta a volta recuperando. Aí, fiquei em terceiro, mantendo mais ou menos a mesma distância dos dois primeiros", disse Cocuzzi. "Estou feliz de ter conseguido ir até o final hoje. Não senti as melhores sensações do corpo, mas ainda ganhei o XCC. Por isso, vejo esse final de semana como positivo", finalizou.



Pódio da etapa no XCO (Crédito: Ultrafotos)


Os demais resultados da etapa, estão disponíveis em breve no site da CIMTB Michelin: www.cimtb.com.br. E, os resultados parciais (não homologados), já se encontram em seuesporte.app.


Top 10 do XCO nas Super Elites


Feminina

1 - Raiza Goulão - 1h20min48 (5 voltas)

2 - Karen Olimpio - 1h21min25 (5 voltas)

3 - Hercília Najara - 1h21min35 (5 voltas)

4 - Isabella Lacerda - 1h22min05 (5 voltas)

5 - Aline Simões - 1h07min01 (4 voltas)

6 - Gloria Melo (COL) - 1h08min10 (4 voltas)

7 - Letícia Cândido - 1h08min18 (4 voltas)

8 - Giuliana Morgen - 1h10min23 (4 voltas)

9 - Maria José Salamanca (COL) - 1h10min23 (4 voltas)

10 - Sabrina Oliveira - 1h12min00 (4 voltas)


Masculina

1 - José Almeida Marques - 1h26min57

2 - Guilherme Muller - 1h27min15

3 - Luiz Cocuzzi - 1h27min38

4 - Nicolas Machado - 1h27min42

5 - Sherman Trezza - 1h27min48

6 - Edson Rezende - 1h27min58

7 - Fabio Castañeda (COL) - 1h58min03

8 - Rubens Valeriano - 1h28min19

9 - Kennedi Lago - 1h28min26

10 - Mario Couto - 1h29min03


Pontuação do Top 5 geral da temporada nas Super Elites


Feminina


1 - Raiza Goulão - 269 pontos

2 - Isabella Lacerda - 239 pontos

3 - Hercília Najara - 212 pontos

4 - Karen Olimpio - 166 pontos

5 - Letícia Cândido - 146 pontos


Masculina


1 - José Gabriel Marques - 240 pontos

2 - Guilherme Muller - 205 pontos

3 - Luiz Cocuzzi - 169 pontos

4 - Ulan Bastos - 162 pontos

5 - Nicolas Machado - 132 pontos


Sobre a CBMM

Líder mundial na produção e comercialização de produtos de Nióbio, a CBMM possui mais de 400 clientes, em 50 países. A companhia fornece produtos e tecnologia de ponta aos setores de infraestrutura, mobilidade, aeroespacial, saúde e energia. Fundada em 1955, em Araxá, Minas Gerais, a CBMM apoia iniciativas que visam o desenvolvimento socioeconômico, cultural e esportivo nos locais onde atua, buscando beneficiar essas comunidades e auxiliar na formação das próximas gerações. Para mais informações, visite: cbmm.com/pt/media-center.


Sobre a Michelin

A Michelin, líder do segmento de pneus, se dedica ao desenvolvimento da mobilidade de seus clientes, de forma sustentável, criando e distribuindo os pneus, serviços e soluções mais adequados às suas necessidades; fornecendo serviços digitais, mapas e guias, para ajudá-los a tornar suas viagens experiências únicas; e desenvolvendo materiais de alta tecnologia, que atendem à indústria da mobilidade. Sediada em Clermont-Ferrand (França), a Michelin está presente em 170 países, emprega mais de 123.600 pessoas em todo o mundo e dispõe de 71 centros de produção implantados que fabricaram cerca de 170 milhões de pneus em 2020. (www.michelin.com.br).


Sobre a Sense Bike

A Sense Bike nasceu em 2009, como uma marca desenvolvida por ciclistas para ciclistas apaixonados, com o objetivo de oferecer bicicletas capazes de encantar pela experiência positiva ao pedalar. Ao longo dos anos, a fabricante marcou seu nome no Brasil, conquistando público, mercado e imprensa especializada. Em 2016, a Sense Bike desenvolveu seus primeiros modelos em fibra de carbono, através de uma parceria com a Swift Carbon: Impact Carbon, Invictus e Prologue. Além disso, a marca é uma das que mais investe no mercado de All-Mountain, Enduro e Elétricas, sendo a única marca nacional a oferecer uma bicicleta elétrica de trilhas de alto desempenho, com quadro em fibra de carbono. Por isso, a Sense Bike é uma das líderes de mercado e pioneira no setor, contando com uma estrutura completa de criação, importação, estoque, distribuição, marketing, pós-venda e comercial.


História da CIMTB Michelin

A organização da CIMTB Michelin realizou sua primeira prova em 1996. Desde então, vem inovando e contribuindo ativamente para o crescimento e fortalecimento do mountain bike e o mercado de bicicletas no Brasil. Contando pontos para o ranking mundial da União Ciclística Internacional (UCI) desde 2004, a CIMTB Michelin tem sido seletiva para os Jogos Olímpicos nos ciclos de Pequim 2008, Londres 2012, Rio 2016, Tóquio 2020 e Paris 2024. Em 2022, a CIMTB Michelin aumentou ainda mais sua relevância internacional, com a realização da etapa de abertura da Copa do Mundo Mercedes-Benz de Mountain Bike 2022, em Petrópolis. Além disso, foi responsável pela construção da pista de mountain bike dos Jogos Olímpicos Rio 2016, considerada uma das melhores da história dos Jogos desde 1996, primeiro ano do MTB em Olimpíadas.


Mais informações sobre a CIMTB Michelin:


Assessoria de Imprensa

Gustavo Coelho





capa_bike_273_mai23.png
capa_bike_GUIA23.png
capa_dirt_332_mai23.png
bottom of page